Segunda, 27 de Setembro de 2021 07:26
(43)9.8860-1609
GERAL Paraná

Melhorias no programa Casa Verde e Amarela vão beneficiar milhares de famílias paranaenses

Programa teve redução de juros e aumento do valor máximo financiado por imóvel. Graças a aporte do Governo do Estado através do Casa Fácil Paraná, ...

15/09/2021 16h55
15
Por: Jaguariaiva em foco Fonte: Secom Paraná
© Camila Tonett
© Camila Tonett

O governo federal anunciou nesta quarta-feira (15) mudanças nas diretrizes do programa Casa Verde e Amarela que deverão facilitar a aquisição de casa própria pela população de todo o País e em especial do Paraná, que possui a maior parceria vigente em habitação com a União. O evento em que foram apresentados os detalhes foi realizado em Brasília e teve a participação do vice-governador Darci Piana e do diretor-presidente da Cohapar, Jorge Lange.

O Estado e a União têm atualmente a maior parceria no âmbito do programa. As iniciativas anunciadas devem beneficiar diretamente milhares de famílias que receberão também um aporte recorde de R$ 450 milhões do tesouro estadual para o valor de entrada dos imóveis, dentro de uma das linhas doCasa Fácil.

“Este é mais um ato importante para o setor habitacional que conta com a participação do Governo do Paraná. São melhorias e avanços do programa Casa Verde e Amarela que deverão beneficiar diretamente cerca de 30 mil famílias que serão atendidas pelo programa Casa Fácil Paraná, em uma parceria de sucesso do Estado com a União e a iniciativa privada”, afirmou Lange.

MUDANÇAS– Foram divulgadas seis melhorias nas propostas de financiamento de moradias já disponíveis. Além de ampliar os descontos nas taxas de juros a mais beneficiários, as novas medidas visam adequar métricas ao cenário atual para atrair o mercado da construção civil e imobiliário para novas contratações (confira todasAQUI).

A principal mudança anunciada foi a unificação da taxa de juros de financiamentos imobiliários para famílias com renda mensal de até R$ 2 mil, que passam a ser de 4,5% ao ano para cotistas do FGTS e 5% para não cotistas. No caso de famílias com renda mensal de R$ 4 mil a R$ 7 mil, também foi determinada uma redução de 0,5% nos juros anuais de financiamento até o final de 2022.

Outra medida anunciada foi a ampliação do teto de valores a serem financiados pelo programa. No caso do Paraná, houve aumento do valor financiado nos municípios de acordo com a faixa populacional.

Em municípios de 20 mil a 50 mil habitantes, o valor aumentou de R$ 140 mil para 154 mil; em municípios de 50 mil a 100 mil habitantes, o valor aumentou de R$ 140 mil para R$ 161,1 mil; em municípios de 100 mil a 250 mil habitantes, o valor aumentou de R$ 170 mil para R$ 187 mil; em municípios com mais de 250 mil habitantes, o valor aumentou de R$ 190 mil para R$ 209 mil; e na capital Curitiba, o valor passou de R$ 215 mil para R$ 236,5 mil.

Outra novidade é uma modalidade de financiamento chamada Parcerias, na qual estados e municípios devem garantir contrapartida mínima de 20% do valor do residencial - que pode incluir o terreno. Dessa forma, o valor mínimo de entrada no imóvel próprio para famílias com renda mensal de até R$ 4 mil será garantido por esse recurso. 

Os primeiros 10 estados a integrar a nova modalidade serão Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Roraima, Bahia, Ceará, Pernambuco e Alagoas. O Paraná foipioneiro na ideiacom o lançamento do Casa Fácil, em maio.

GERAÇÃO DE EMPREGO– De acordo com ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, os investimentos em habitação foram essenciais para a manutenção do emprego e da renda durante o auge da pandemia.

“Foram 2,8 milhões empregos apenas no programa Casa Verde e Amarela, um contingente expressivo de trabalhadores dentro da construção civil fazendo habitação que é uma ação social importantíssima para a sociedade”, afirmou Marinho. “Em função da pandemia houve um desequilíbrio dos preços e agora estamos fazendo as correções necessárias”.

Apenas no Paraná, serão cerca de 100 mil empregos gerados nos próximos anos com os R$ 450 milhões do Governo do Estado, além de R$ 3,5 bilhões em recursos do FGTS para as obras. Para o governador Carlos Massa Ratinho Junior, os investimentos no setor são importantes por aliar benefícios sociais e econômicos.

“É o maior programa de habitação do Brasil, com 30 mil casas em todo o Estado. A expectativa é gerar 100 mil empregos, portanto além de facilitar o acesso à casa própria, é a movimentação da economia paranaense, que tem um dos maiores crescimentos do Brasil”, disse.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.