Sábado, 27 de Novembro de 2021 23:16
(43)9.8860-1609
EDUCAÇÃO Paraná

Com plataforma digital, programa Inglês Paraná facilita aprendizado do idioma na rede estadual

Programa oferta um curso online completo de inglês dividido em 16 níveis de proficiência, do básico ao avançado, para 420 mil alunos do 6º ano do e...

26/10/2021 13h10
30
Por: Jaguariaiva em foco Fonte: Secom Paraná
© JONATHAN CAMPOS
© JONATHAN CAMPOS

Com o objetivo de estimular e facilitar o aprendizado do inglês para os alunos da rede estadual paranaense, o Governo do Estado lançou nesta terça-feira (26) o Programa Inglês Paraná. Coordenada pela Secretaria de Educação e do Esporte (Seed), a iniciativa disponibiliza uma plataforma de ensino online que se soma às aulas de inglês da escola, estimulando o aprendizado com atividades audiovisuais na escrita, leitura, fala e escuta.

No lançamento, o governador Carlos Massa Ratinho Junior ressaltou que os alunos terão a oportunidade de aprender inglês de forma moderna, impulsionando sua formação para o futuro. “A segunda língua, em especial o inglês, é importante para o crescimento profissional desse jovem. Além disso, ela dá a oportunidade de ele se transformar em um cidadão do mundo: onde for, estará preparado para viajar, fazer um curso fora ou garantir um bom emprego que tenha essa exigência”, explicou.

O sistema oferta um curso completo de inglês dividido em 16 níveis de proficiência, do básico ao avançado, acessível de forma digital online e offline via computador ou aplicativo no celular. Ao realizar o primeiro acesso, o aluno faz um teste de proficiência que vai colocá-lo no nível mais apropriado. Para avançar nas etapas de dificuldade os estudantes devem concluir todas as lições, atividades e testes de cada estágio de aprendizado.

Renato Feder, secretário estadual de Educação, destacou como o programa auxiliará o estudante a ingressar no mercado de trabalho. “Criamos o Inglês Paraná visando preparar nossos estudantes para os desafios contemporâneos, para um mercado de trabalho que busca, cada vez mais, profissionais capazes de se comunicar em um mundo globalizado”, afirmou.

O programa beneficiará inicialmente até 420 mil estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental até o 3º ano do Ensino Médio e mais de 4 mil professores da disciplina na rede estadual. O investimento foi de cerca de R$ 13 milhões, aplicados especialmente no desenvolvimento do sistema digital.

A secretaria treinou os professores para o uso da plataforma desde agosto, e começou a implementar a iniciativa como projeto-piloto em setembro. Além do conteúdo principal, também estão disponíveis na plataforma materiais complementares, tais como um sistema de leitura textual com reprodução sonora e consulta a periódicos em inglês.

“Modernizar e inovar a educação é um grande foco do Governo. Estamos nos inspirando nos países de primeiro mundo para trazer o que tem de mais moderno para os jovens paranaenses”, complementou o governador.

AUTONOMIA- O modelo de ensino focado na experiência do aluno estimula o aprendizado de forma mais autônoma, sendo complementado pelos professores na sala de aula.

Professora de inglês há mais de 20 anos, Carolina Merisio Ferreira explicou que o projeto propõe uma mudança de paradigma no ensino: o professor se torna um mediador do conhecimento, o que desenvolve autonomia e protagonismo no aluno.

“O nivelamento era uma das dificuldades da sala de aula, já que temos diversas realidades e diferentes níveis de inglês em uma turma. Com o teste, eles podem se enquadrar no nível de inglês que já possuem – ou começar do zero”, destacou. “Nossos alunos estão mais motivados, não ficam apenas esperando o que o professor vai trazer”. Ela leciona em Guarapuava, na região Central do Paraná, no Colégio Estadual Visconde de Guarapuava.

A plataforma também permite ao professor acessar informações individualizadas sobre cada estudante, avaliando sua evolução e dando suporte às eventuais dúvidas que surgem. Para a professora, isso auxilia no planejamento do ensino.

“Baseados nas aulas que o aluno faz em casa, os professores podem criar instrumentos avaliativos, fazendo avaliações que são transformadas em nota. Em sala, eu projeto no quadro as lições da plataforma para os alunos e eles podem acessar pelo celular, ou via computador em sala. Com certeza o trabalho ficou mais facilitado”, explicou a professora.

Uma de suas alunas é Joana Ladislau Brandão, de 17 anos, estudante do 3º ano do Ensino Médio e aspirante à Medicina. Ela pontuou que o conhecimento de inglês colabora para sua futura colocação nos meios acadêmico e profissional, permitindo a compreensão de artigos científicos e sua participação em futuros congressos e cursos internacionais.

“A plataforma tem uma linguagem voltada ao mundo corporativo, que a gente não tem tanto contato em outros cursos ou até na escola. É muito legal porque é um inglês totalmente necessário”, avalia Joana.

Ela acrescenta que o sistema é ótimo para estudar, já que se adequa às necessidades de cada aluno. “Cada um tem seu nível de aprendizagem. Eu costumo estudar no computador, e também baixo lições offline no aplicativo. Isso ajuda porque, quando estou meio sem nada para fazer e sem internet, aproveito para fazer as atividades. Elas são bem rápidas, adaptadas para o dia a dia e simples de serem entendidas”, complementou a estudante.

O sistema oferta um curso completo de inglês dividido em 16 níveis de proficiência, do básico ao avançado, acessível de forma digital online e offline. Fotos: Geraldo Bubniak/AEN.

CERTIFICAÇÃO– Os níveis do curso seguem o Quadro Comum Europeu de Referências para Línguas (CEFR), um padrão internacionalmente reconhecido para descrever a proficiência em um idioma, de maneira a determinar quanto uma pessoa fala e entende a língua estrangeira.

O programa também está alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC) do Ministério da Educação, que estabelece conhecimentos, competências e habilidades que se espera que todos os estudantes desenvolvam ao longo da escolaridade básica.

INICIATIVAS- O secretário estadual da Educação acrescentou que a plataforma se soma a outras inovações que o Paraná tem lançado para criar uma educação de referência internacional. “A gente quer que a rede estadual do Paraná seja um exemplo de educação pública. Queremos nossos alunos falando inglês, escrevendo bem, sabendo programar, aprendendo matemática e a administrar seu dinheiro”, explicou o secretário.

“Estamos preparando o jovem para o futuro dando independência para ele tocar sua vida”, complementou Ratinho Junior.

Além do programa Inglês Paraná, a Seed adquiriu neste mês 8.827 computadores para dar suporte a essa e outras iniciativas da pasta. O investimento foi de R$ 34,4 milhões, atendendo 481 escolas. Em agosto, a secretaria também lançou oPrograma Robótica Paraná, levando aulas de programação a alunos das escolas estaduais.

PRESENÇAS -Compareceram ao evento o vice-governador Darci Piana; o chefe da Casa Civil, Guto Silva; o secretário estadual da Administração e da Previdência e Marcel Micheletto; o diretor-geral da secretaria estadual da Educação e do Esporte, Vinicius Neiva; o chefe de gabinete do governador, Daniel Vilas Bôas; o líder do Governo na Assembleia Legislativa e presidente da Comissão de Educação, deputado estadual Hussein Bakri; os deputados estaduais Maria Victoria, Cristina Silvestre e Dr. Batista; Eduardo Santos, CEO da English First Corporation Education, empresa que desenvolveu a plataforma; além de professores e alunos de colégios estaduais paranaenses.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.